jusbrasil.com.br
22 de Setembro de 2021
    Adicione tópicos

    Inauguradas as novas instalações do Centro de Memória, Arquivo e Cultura (CMAC) do TRT-15

    Por Ademar Lopes Junior

    O presidente e o vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, respectivamente os desembargadores Fernando da Silva Borges e Edmundo Fraga Lopes, que também preside a Comissão de Preservação da Memória da Justiça do Trabalho da 15ª Região, inauguraram, na manhã desta terça-feira, 20/2, as novas instalações do Centro de Memória, Arquivo e Cultura (CMAC) do tribunal, localizado no 4º andar do edifício-sede judicial, em Campinas.

    Prestigiaram o evento diversos membros da Corte, entre eles o ex-presidente do Regional no biênio 2014-2016, desembargador Lorival Ferreira dos Santos, representantes do TRT-5 (BA) em visita ao Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Disputa (Cejusc) da Justiça do Trabalho da 15ª, juízes do trabalho, advogados, servidores, além de autoridades como os desembargadores aposentados Eliana Felippe Toledo e Renato Buratto, presidentes do TRT-15 respectivamente nos biênios 2002-2004 e 2010-2012. Ainda estavam presentes o presidente da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 15ª Região (Amatra XV), Marcelo Bueno Pallone, os historiadores Jorge Alves de Lima e Fátima Garcia Oliveira, também advogada e conciliadora da Justiça Federal de Maceió, a ex-governadora do Lions Internacional, Maria Letícia de Barros Gonçalves, o museólogo do Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Campinas, Rodrigo Luiz dos Santos, e o professor Humberto Celeste Innarelli e equipe do Arquivo Edgard Leuenroth do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

    Participaram do ato de descerramento das placas alusivas à inauguração do CMAC o presidente Fernando Borges e também os membros da Comissão de Preservação da Memória da 15ª Região, presentes na cerimônia, os desembargadores Edmundo Fraga Lopes, Eduardo Benedito de Oliveira Zanella, Tereza Aparecida Asta Gemignani e Francisco Alberto da Motta Peixoto Giordani.

    O vice-presidente judicial, desembargador Edmundo Fraga Lopes, abriu os discursos destacando que no novo espaço foram priorizadas a ampliação da área de exposições, a melhoria da acessibilidade, bem como a modernização das ferramentas de exposição permanente dos acervos documentais e históricos, lembrando que o Centro foi inaugurado em 21 de outubro de 2004, pela então presidente a desembargadora Eliana Felippe Toledo, na antiga sede judicial (hoje sede administrativa). "Referência nacional, o CMAC se perpetua na valorização e divulgação de seu acervo, e cumpre sua função social de resguardar esse patrimônio histórico."

    De acordo com o desembargador Edmundo, com a inauguração das novas instalações do CMAC, pretende-se "cativar os visitantes pela relevância do que representa a Justiça do Trabalho da 15ª Região, em nosso estado e no país", com a adequação do espaço "aos padrões mais modernos de exposição de acervos documentais e museológicos, com recursos audiovisuais que possibilitam atualizações e configuração espacial".

    O desembargador ressaltou os três momentos distintos por que passarão os visitantes no novo CMAC. O primeiro, que registra a evolução da história do trabalho, abordando-se as relações laborais desde o trabalho escravo, passando pela Revolução Industrial, até o momento das conquistas sociais. O segundo, que retrata a história da Justiça do Trabalho no Brasil e, particularmente, do TRT-15, com informes da jurisdição e acontecimentos representativos no período de 1986 a 2017. No terceiro, é apresentado o projeto "Painel da Memória", que contou com a colaboração de magistrados e servidores, num ambiente expressivo, cooperativo e de construção coletiva.

    O magistrado encerrou agradecendo ao incentivo "incansável" do presidente Fernando da Silva Borges para a realização do projeto de reinauguração. Também agradeceu pelo apoio de diversas instituições que preservam a cultura, com destaque para o Museu Nacional de Belas-Artes, Museu da República, Museu Imperial e do Centro de Memória da Unicamp. E, no âmbito interno do TRT-15, agradeceu à Seção de Multimídia, "essencial aos melhores resultados da divulgação de nossa memória audiovisual que ora se inaugura, propiciando reflexão e intercâmbio de ideias".

    Ao fazer uso da palavra, o presidente do Regional, desembargador Fernando da Silva Borges, ressaltou a necessidade de todos nós aprendermos que somos passageiros, mas que a instituição é permanente, daí por que "precisamos preservar a memória".

    No dia em que se comemora o Dia Mundial da Justiça Social, "nada mais adequado que a inauguração das novas instalações do Centro de Memória, Arquivo e Cultura do TRT-15".

    O presidente aproveitou o momento para reafirmar o papel da Justiça do Trabalho, como defensora dos direitos sociais, e do quanto o país ainda precisa avançar para diminuir as desigualdades.

    O desembargador Fernando Borges agradeceu aos membros da Comissão de Preservação da Memória da Justiça do Trabalho da 15ª Região pelo empenho de sempre, e também aos colaboradores que auxiliam no enriquecimento do acervo. Nesse sentido, o presidente registrou a importância da recente doação ao CMAC, das mãos de José Cristovão Cursino, do original do "Contracto de locação de serviços", firmado em 30 de setembro de 1927 por seu pai, José Antonio Cursino, e o proprietário de uma gráfica na cidade de São José dos Campos. Esse documento está entre os mais antigos da exposição.

    O presidente encerrou seu discurso com uma frase do pensador Nildo Lage, segundo o qual "a cultura de um povo é o seu maior patrimônio. Preservá-la é resgatar a história, perpetuar valores, é permitir que as novas gerações não vivam sob as trevas do anonimato".

    Por fim, os membros da Administração presentes foram convidados para o desenlace da fita inaugural. Participaram do ato o presidente, desembargador Fernando Borges, a vice-presidente administrativo, desembargadora Helena Rosa Mônaco da Silva Lins Coelho, o vice-presidente judicial, desembargador Edmundo Fraga Lopes, os desembargadores Manoel Carlos Toledo Filho e Ana Paula Pellegrina Lockmann, respectivamente o diretor e a vice-diretora da Escola Judicial do TRT-15, a ouvidora da 15ª, desembargadora Ana Amarylis Vivacqua de Oliveira Gulla, e ainda a ex-presidente do Regional e fundadora do CMAC, desembargadora aposentada Eliana Felippe Toledo.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)